terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Lágrimas de Sangue

Apunhala meu peito com uma dor incessante, me faz querer morrer
Por não ter a chance de tocar teus lábios...
Fico me perguntando, se o pecado que cometi, foi te gostar tanto
Por que maltrata, esse pobre coração, que bate disparadamente ao te ver?
Que mal fiz à você?
Me dá todo seu doce, a cada palavra que você me diz, mas escurece meu viver
Ao ver aquele retrato, que me faz padecer...
Essa ferida eu sei que um dia irá se fechar, e que as cicatrizes vão me trazer à ira
E, não lembranças! E que minhas lágrimas, serão todas, uma por uma,
De ódio de sentir o que estou sentindo! Sentir vontade de chorar por alguém que me faz falta, mas que nunca me pertenceu...
Estou juntando os pedaços da minh'alma que restaram, depois de ver aquele retrato...
E escorrem lágrimas de sangue, sobre meu rosto, que me fazem suspirar...
Tiro minha máscara, me deito, e espero que pelo menos em sonho, possa te encontrar no conforto dos meus braços...

Um comentário:

Ocorreu um erro neste gadget